Ouroboros.

ouroboros.Originally uploaded by werllen castro

Passo a maior parte do tempo esperando ansiosamente pelo fim, assim como espero um cigarro terminar para que possa dar atenção à outra coisa – que me levará ao próximo cigarro. Uma ânsia do que está por vir, para poder, enfim, sentir o leve perfume quase irreconhecível da nostalgia. Não existe solidão e seu antônimo desconhecido: são solidões diferentes. 

Não sei mais por onde comecei. É o tipo de coisa que se começa pelo meio.

2 Respostas

  1. Thaís

    Para mim seria a saudade do que ainda está por vir… A saudade do que já foi… Nunca a coragem para aproveitar o aogra… O agora é duro de mais e as coisas esquecidas ou sonhadas sao muito mais simples e completas…
    Nunca elas chegam.
    Por isso que eu adoro os seus posts!

    janeiro 3, 2008 às 12:48 am

  2. Ansiedade pelo futuro que na realidade só se torna o presente que queremos quando nos apropriamos da nossa vida. Também ansiedade pelo nada, a morte insidiosa que não nos esquece.
    “leve perfume […] da nostalgia” pelo passado que não passa de mais uma ilusão que agarramos com força e que se desfaz em pó entre nossas memórias. Só temos o presente e esse futuro que criamos quando não nos deixamos levar pela vida.
    abraço

    janeiro 16, 2008 às 7:57 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s